A importância do alimento

07/04/2014 19:25

A importância do alimento

 

 

 

 

As saladas:

 

Ah, essas entradas vitalizantes e saborosas...

 

Apreciadas sem restrições no mundo inteiro, atendendo aos mais variados gostos, compostas dos mais diversos ingredientes, as saladas abrem as refeições e o apetite, variando nas cores e montagens ornamentais, sempre acompanhandas de molhos deliciosos que agradam aos paladares mais exigentes.

 

E não são só deliciosas...

 

 

 

Sua função principal é manter a vida.

Com uma grande profusão de cores, pigmentos naturais, vitaminas, sais minerais e fibras, as verduras e legumes fazem parte dos alimentos ditos reguladores, mantém a constância da composição química dos tecidos e dos sistemas enzimáticos. Possuem efeito comprovadamente anticancerígeno e auxiliam na remoção dos radicais livres do nosso organismo, facilitando a renovação celular.

 

Promovem a alquimia da energia.

Os vegetais verdes transformam o gás carbônico do ar absorvido pelas folhas, juntamente com a água e os sais minerais absorvidos pelas raízes, num elemento nutritivo que é o açúcar vegetal, cuja função é nos dar energia.

 

 

 

 

Previnem doenças crônicas.

Os vegetais contêm uma grande quantidade de fibras que estimulam a função do intestino grosso. A pectina, um dos tipos de fibra, promove a eliminação de escórias e toxinas, diminuindo, com isso, a taxa de colestrerol nocivo à saúde e os riscos de doenças cardíacas, hipertensão e câncer.

 

Constituem uma fonte de vitamina C.

As folhas verdes dos vegetais são uma fonte inesgotável de vitamina C, a qual tem inúmeras funções benéficas ao organismo, sendo a principal delas a antioxidante, que remove os radicais livres, evitando assim o envelhecimento das células.

 

 

 

 

Abacaxi – Age no tubo digestivo e pulmão. Dissolve as mucosidades facilitando a disgestão (das proteínas) pela presença das enzimas bromelina e pectina.

 

Alface – Atua sobre o sistema nervoso como calmante sedativo. Combate a insônia, a gripe, a tosse, a bronquite e a asma. É um vitaminizante, desintoxicante, laxante, diurético e purificador do organismo.

 

Agrião – Tem ação no pulmão, umidificando-o. É rico em vitamina C e proporciona melhor absorção de ferro, corrigindo, assim anemias. O efeito diurético promove limpeza do sangue. Além de apresentar efeito depurativo, é refrescante e adstringente.

 

Alho – Tem efeito antibacteriano, combatendo as infecções causadas por vírus. Por ser rico em selênio, atua como antioxidante, ligando-se a radicais livres. Possui também germânio, que age como regulador do sistema imunológico.

 

Aspargo - considerado há séculos uma iguaria, é membro da família do lírio comestível e seu cultivo está tão disseminado pelo mundo que existe aspargo o ano inteiro. Levemente cozido, em água ou vapor, é um aperitivo, componente de salada ou guarnição sempre saboroso e nutritivo. Rico em vitamina C.

 

Azeite de oliva – É um dos agentes no combate ao colesterol, fornecendo grande quantidade de gorduras mono e poli-insaturadas, evitando formação de placas de gordura saturada nas artérias, além de ser rico em componentes anti-oxidantes e anti-radicais livres. O azeite de oliva puro melhora as funções do intestino e do estômago, auxiliando a disgestão. Contribui também como participante ativo no crescimento e fortalecimento dos ossos.

 

Azeitona – Está classificada entre as oleoginosas, devido ao seu alto teor de gordura (13,5%). A azeitona verde possui fatores adstringentes e pré-laxativos. É rica em vitamina A, B1, B2, contendo ainda grandes quantidades de potássio, sódio, cálcio e fósforo. Da azeitona in natura consegue-se extrair um dos melhores azeites, pois sua primeira extração resulta no azeite extra virgem, bastante apreciável no mundo gastronôminco devido às suas características de odor e sabor bastante peculiares, que variam em relação ao local de cultivo das oliveiras.

 

Banana – É fonte de carboidratos, contendo vários minerais, entre eles o cálcio (essencial para a formação dos ossos e dentes), fósforo, ferro, potássio (ótimo para quem sofre de hipertensão arterial) e pequenos teores de magnésio, enxofre, cobre, zinco e iodo, além das vitaminas A e as do Complexo B e C.

 

Bardana – Raiz bastante saborosa que auxilia no combate a cálculos renais, reumatismo e problemas da vesícula. Fornece proteínas, glicídios, fibras, cálcio, fósforo, ferro, vitamina A, B1, riboflavina, niacina e vitamina C. Assim como todas as raízes, a bardana também é rica fonte de sais minerais.

 

Batata inglesa – Pelo fato de não possuir um sabor acentuado, é bastante utilizada para a base de massas e para acompanhar outros alimentos, além de ser rica em calorias, constituindo uma ótima fonte de energia. Contém grande dose de vitamina C.

 

Berinjela – Totalmente desprovida de gordura, contém carboidrato e proteína. É rica em minerais, como o sódio, importante fator na regulação do plasma sanguíneo. Contém também as vitaminas A, C e as do Complexo B.

 

Beterraba – É de alto valor nutritivo. É rica em vitaminas A, B1, B2 e C. É indicada contra anemia, dentes fracos, inflamações da gengiva e problemas intestinais. É diurética e laxante. Suas folhas podem ser utilizadas em ensopados refogados, pois são riquíssimas em vitamina A e ferro.

 

Brócolis – Possuem fibras que têm a função de limpar o organismo ao facilitar o trânsito intestinal. Possuem vitamina C e fito-químicos que auxiliam a prevenir alguns tipos de câncer. São antioxidantes e auxiliam a reduzir o colesterol.

 

Cebola – Fortalece os vasos sangüíneos, fortifica a função do estômago e auxilia na absorção dos nutrientes do tubo digestivo para o sangue. Protege as funções do fígado, combate a tosse e a rouquidão, sendo também um bom vermífugo.

 

 

Cenoura – Rica em fibras e vitaminas do complexo B e de betacaroteno (substância que depois de ingerida se transforma em vitamina A, nutriente fundamental para a saúde dos olhos e pele). Estimula o apetite, neutraliza as toxinas e aumenta a defesa celular.

 

Couve-flor – É uma variedade da couve, rica em vitamina A, B1, B2 e C e em potássio, cálcio, enxofre, ferro, sódio e fósforo, sendo uma hortaliça com notável conteúdo de sal.

 

Glúten – É o conjunto de proteínas do trigo após a extração de todo o amido e farelo. Trata-se de um alimento rico em nutrientes e em ácido glutânico, capaz de favorecer o metabolismo cerebral e o crescimento.

 

Goiaba – Possui quantidades razoáveis de sais minerais, como o cálcio, ferro e fósforo. É rica em vitaminas A, B1, B2 e C. Por sua riqueza vitamínica (principalmente a C), é uma arma poderosa contra as infecções, fadiga, processos alérgicos e hemorrágicos. Controla a diarréia.

 

Hortelã – É composta dos nutrientes: mentol, mentonas, vitamina C e ácido tônico. Combate a acidez do estômago, cólicas, febre, náusea, diarréia, cefaléia, tosse e mau hálito.

 

Limão – Seu suco é rico em bioflavonóides e desempenha importante papel como liberador de toxinas do organismo. Rico em vitamina C.

 

Lótus – raiz de sabor agradável bastante benéfica às vias respiratórias. Indicada contra bronquites, asma, tosse, resfriados. Quando usada por fumantes, colabora na eliminação da nicotina e do alcatrão.

 

Iogurte – É obtido por meio de inoculação de dois tipos de “bactérias” (boas bactérias): Streptococcus Termophilus e o Lactobacillus Bulgarius. Transformam a lactose (açúcar do leite) em ácido lático. Os lactobacillus trabalham sobre a caseína (proteína do leite), desdobrando-a em finas partículas e facilitando a digestão. É um alimento rico em proteínas e minerais. Auxilia no bom funcionamento do intestino, pois deixa a flora intestinal equilibrada.

 

Maçã – Rica em vitamina B1, B2 e C, possui quantidades elevadas de potássio, fósforo, sódio e magnésio. Por ser rica em pectina (um glicídio não digerível) a maçã é uma fruta especialmente indicada nos distúrbios gastro-intestinais, como diarréia, colite, etc.

 

 

Mel – Tônico energético que aumenta a vitalidade do corpo. Contém: sais minerais (potássio, fósforo, cálcio, sódio, ferro, água e glicídeos). Combate úlcera gástrica, afta e ulcerações na boca, má disgestão, intestino preso, tosse e fraquezas.

 

Milho – Melhora o trânsito intestinal. Indicado para tratar desnutrição.

 

Missô – Pasta de soja misturada a cereais como trigo e arroz, por exemplo, para que fermentem durante certo tempo. O missô é um excelente remédio despoluente e desintoxicante do organismo.

 

Moyashi (Broto de soja) – É altamente energético em virtude de estar a planta em crescimento e desenvolvimento. É também de fácil digestão.

 

Nabo – Possui propriedades tônicas e mineralizantes.

 

Pepino – Como salada, estimula o apetite. Atua contra o ácido úrico, cálculos renais, reumatismo e prisão de ventre. Aumenta a diurese.

 

Pimentão – Abre o apetite e facilita a digestão. Contém bastante água e vitamina A e C. Aumenta a vitalidade das células, combate o cansaço e as doenças degenerativas como diabetes, a hipertensão, a arterosclerose, etc. Contém também muita fibra, auxiliando no bom funcionamento do intestino. O ferro que existe em abundância no feijão só é assimilado pelo organismo com a vitamina C que existe em abundância no pimentão.

 

Rabanete – Mineralizante, diurético e tônico. Estimula as funções do aparelho digestivo e combate processos alérgicos agudos como, por exemplo, a urticária.

 

Repolho – O branco é utilizado no combate à tuberculose, como depurativo do sangue e estimulante da digestão. O roxo tem ainda a propriedade de estimular a produção de hormônios e a queima das gorduras.

 

Rúcula – Digestiva, diurética e refrescante.

 

Tofu – O tofu é uma espécie de queijo feito de leite de soja. O valor nutritivo principal do tofu é o seu conteúdo protéico: ele contém os oito aminoácidos essenciais que constituem a proteína completa. O tofu tem várias vantagens sobre os alimentos de origem animal que são ricos em proteínas: ele é o único alimento de alto valor protéico com baixa proporção de gorduras saturadas e ausência total de colesterol.

Tem grande quantidade de óleos vegetais, os quais têm a capacidade de limpar as gorduras do sangue e facilitar o trabalho cardíaco. Age como preventivo do envelhecimento, pois aumenta a remoção de células desgastadas. É melhor que o queijo de origem animal, pois contém proteína mais pura e de fácil digestão, enquanto que as proteínas de origem animal têm que ser decompostas para novamente formar uma proteína assimilável ao organismo, gerando com isso grande dispêndio de energia ao fígado.

 

Tomate – Favorece a digestão, possui vitamina B6 que tem a capacidade de neutralizar toxinas. Acelera o metabolismo da gordura, evitando a sobrecarga para o fígado. Aumenta a secreção gastrointestinal, o que previne a constipação do intestino. Tem ação antianêmica, pois possui pigmentos de clorofila que são promotores da formação do sangue.

 

Vagem – Essencial para o crescimento do corpo. Em associação com outros alimentos, a vagem chega a surpreender pelas qualidades de apoio à recuperação de doenças graves.